O desafio da relação universidade-empresa


O V Fórum de Gestão e Inovação do Comung, que tem como temática “O futuro da educação: inovação, empreendedorismo e internacionalização”, organizado pelo Consórcio das Universidades Comunitárias Gaúchas (Comung), promoveu, no fim da tarde dessa segunda-feira, 4 de setembro, no Salão de Atos da Feevale em Novo Hamburgo, uma palestra com a espanhola, mestre em Comunidade Europeia e União Europeia pela Universidad de Zaragoza, Susana Sanchez Galve, que falou a respeito do “Desafio da relação universidade empresa”.

A universidade é considerada uma das principais fontes de conhecimento, e contar com empresas parceiras é importante para o desenvolvimento dos processos de cooperação. “Universidades e empresas são muito diferentes e acredito que, às vezes, falta um pouco de conexão. Os parques tecnológicos são um exemplo em torno de uma colaboração concreta entre as duas partes, exemplos de contatos entre empresas e universidades para desenvolvimento de inovação, práticas de alunos, entre outras questões que contribuem para a evolução de ambas”, destacou.

Conforme Suzana, as empresas e universidades muitas vezes estão em mundos distintos, com objetivos e resultados diferentes, porém, ela acredita que é possível construir espaços de colaboração que agreguem para as duas vertentes.  

Debate pela educação

De acordo com o presidente do Comung e reitor da Universidade de Passo Fundo (UPF), professor José Carlos Carles de Souza, é importante debater questões relacionadas aos caminhos possíveis para o futuro da educação. “Há algumas questões pontuais que merecem nossa atenção, como o avanço dos parques tecnológicos e as metodologias ativas aplicadas à educação. Além disso, precisamos refletir se devemos andar pelo caminho do EAD ou do híbrido, e temos de saber como vamos nos comportar diante do atual cenário, pois enfrentamos um momento de transformação na área da educação e temos que estar atentos às políticas governamentais nessa área. Todo esse contexto justifica as ações do Comung e o seu protagonismo em olhar para o futuro em busca da qualidade do ensino que oferecemos e do cenário que o envolve”, destacou. 

Conforme o coordenador do V Fórum de Gestão e Inovação do Comung, professor Cleber Prodanov, esse evento começou a ser pensado ainda no ano passado, com o objetivo de promover um espaço de reflexão e discussão a respeito da educação. “Se fala muito nas mudanças que estão ocorrendo na sociedade, na economia em pleno século XXI, também se fala de uma atuação mais conjunta das universidades. Não se tem muito claro o que a inovação vai trazer para os processos educacionais, ou como a inovação vai atuar na reformatação das nossas universidades, se serão mais modernas e atuais. Então, esse é o momento de a gente discutir um conjunto de ações inovadoras, com ambientes de inovação para se ter uma outra perspectiva de universidade”, finalizou.

Na parte da tarde, ocorreu o painel “Evolução dos ecossistemas de inovação e a relação com as universidades e as cidades”, com o conselheiro do CNE, Paulo Barone; e o presidente da Associação Nacional de Entidades Promotoras de Empreendimentos Inovadores (Anprotec), Jorge Luis Nicolas Audy.

ASCOM UPF